Diabetes e Disfunção Erétil

Você sabia que há uma conexão entre diabetes e disfunção erétil (DE)?

É forte, na verdade. A Associação Americana de Diabetes estima que cerca de metade dos homens com diabetes acabará experimentando ED. Homens com diabetes também podem desenvolver disfunção erétil dez a quinze anos mais cedo do que aqueles que não têm diabetes. Muitas vezes, os homens diabéticos têm casos mais graves de disfunção erétil.

A disfunção erétil é a incapacidade de ter uma ereção firme o suficiente para satisfazer o sexo. Você pode ter um desejo sexual, mas há uma desconexão entre o que sua libido diz e o que seu corpo faz.

ED é frustrante para muitos homens e seus parceiros. Pode levar a problemas de depressão, ansiedade e relacionamento. Felizmente, vários tratamentos estão disponíveis.

Vamos dar uma olhada em algumas das principais questões que envolvem disfunção erétil e diabetes.

Neuropatia

Nossos nervos são responsáveis ​​por transmitir milhares de mensagens elétricas ao redor do corpo. Essas mensagens dizem ao nosso corpo como estimular, incluindo a estimulação sexual.

Muitas pessoas com diabetes desenvolvem neuropatia, uma doença do nervo que limita a transmissão dessas mensagens. Os cientistas não sabem ao certo por que isso acontece. Alguns acreditam que o alto nível de açúcar no sangue produz proteínas anormais que danificam os nervos. Ou o açúcar no sangue pode interferir diretamente na transmissão da mensagem.

Entre 60 e 70 por cento dos diabéticos acabam desenvolvendo neuropatia em algum lugar do corpo. Em muitos casos, a neuropatia piora com o tempo.

Homens diabéticos com disfunção erétil desenvolvem neuropatia autonômica. Isso significa que os danos aos nervos interferem nos processos corporais que você não controla, como digerir alimentos ou saber quando usar o banheiro. A ereção é outro desses processos.

Aterosclerose

Os diabéticos são propensos a desenvolver aterosclerose – um endurecimento ou espessamento das artérias.

Quando um homem tem uma ereção, seu pênis se enche de sangue. Quando ele está sexualmente excitado, as artérias penianas se expandem para permitir a entrada do sangue. Quando o pênis está firme o suficiente, as veias se contraem para manter o sangue até ele ejacular. Então, o sangue é liberado de volta ao corpo.

Como você pode esperar, a aterosclerose pode limitar ou bloquear o fluxo sanguíneo no pênis. Sem sangue suficiente, o homem não terá a firmeza que precisa para o sexo.

O que pode ser feito?

Se você tem disfunção erétil e diabetes, tome medidas. Lembre-se, sua saúde sexual é importante para sua saúde geral.

  • Fale com o seu médico. Descubra o quão bem você está gerenciando seu diabetes. Existem outras etapas que você deve seguir? Existem outras condições que podem estar contribuindo para o seu DE, como hipertensão arterial ou doença arterial coronariana? Poderia algum dos seus medicamentos estar desencadeando ED? Em caso afirmativo, eles podem ser ajustados com segurança?
  • Cuide bem do seu diabetes. Pode parecer simples, mas muitas pessoas deixam as coisas deslizarem. Certifique-se de seguir as instruções do seu médico ao pé da letra. Verifique o seu açúcar no sangue regularmente e mantenha-o sob controle. Pode ajudar a manter um diário de suas leituras de açúcar e episódios de ED e compartilhar essas informações com seu médico.
  • Exercício. Jogue basquete com seus amigos ou dê uma volta no quarteirão com seu parceiro. O exercício mantém seu sangue em movimento, o que pode ajudar na aterosclerose. Exercício também pode ajudar a aliviar qualquer depressão ou ansiedade que você pode ter sobre ED. Verifique com seu médico antes de iniciar qualquer programa de exercícios.
  • Explore suas opções de tratamento. Há uma variedade de tratamentos de disfunção erétil disponíveis, incluindo medicamentos, supositórios peniana , injeções , dispositivos a vácuo, creme para pêniscirurgia vascular e implantes. Alguns homens precisam experimentar diferentes tratamentos antes de encontrar o que funciona melhor para eles.
  • Comunique-se com o seu parceiro. A disfunção erétil é difícil em casais. Você pode se sentir envergonhado, inadequado ou preocupado por não poder agradar seu parceiro. Mas não varra a situação debaixo do tapete. As chances são de que seu parceiro também queira falar sobre isso. Ser aberto e honesto sobre isso irá ajudá-lo a decidir sobre o caminho certo para o tratamento.
  • Considere aconselhamento, se necessário. Um terapeuta qualificado pode ajudá-lo a lidar com algumas das confusões, ansiedades e depressões que podem advir da disfunção erétil. Aconselhamento também pode ajudar você e seu parceiro a trabalhar com quaisquer problemas em seu relacionamento.
  • Mantenha-se atualizado com tratamentos ED. Por exemplo, os pesquisadores concluíram recentemente a terceira fase de um ensaio clínico para o avanafil, um medicamento que pode ajudar homens diabéticos com disfunção erétil.

Diabetes não tem que interferir na sua vida sexual. Com paciência e bom atendimento, você e seu parceiro podem desfrutar de intimidade sem a ansiedade da disfunção erétil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *