casal

Recupere a libido e tenha uma vida sexual saudável

A qualidade da vida sexual é um dos fatores que ajudam a melhorar o bem-estar físico e psicológico dos adultos. Mas, há uma série de problemas que condicionam a atividade sexual e que são determinados pela idade, estresse ou outras circunstâncias fisiológicas. 6 inimigos do sexo, conheça quais são e saiba como tratá-los.

Anorgasmia coital

É definido como a ausência permanente de orgasmo através da rota de penetração. Ocorre mais frequentemente em mulheres, mas também é sofrido por homens. É, fundamentalmente, um problema com raízes psicológicas, diminuição de libido e outras. Experiências sexuais traumáticas, fatores culturais, falta de desejo e confiança .

Tratamento: As técnicas terapêuticas contribuem para resolver com sucesso esta disfunção. Recuperar o relacionamento positivo através da comunicação com o casal é uma dessas molas.

Falta de desejo sexual

A mulher perde o interesse pela relação sexual, muitas vezes motivada pela idade, pelo emocional ou pela relação do casal.

Tratamento: Ter uma dieta saudável, praticar exercícios, ir a um psicólogo e conversar com o parceiro. As vezes um bom estimulante pode funcionar como um viagra natural para a mulher, como no vídeo:

Vaginismo

Os músculos inferiores da vagina se contraem involuntariamente, tornando o ato sexual muito difícil. Pode ocorrer tanto em mulheres que nunca tiveram relações de penetração, como naquelas que as tiveram e também tem suas causas em fatores de tipo psicológico e cultural.

Tratamento: Os especialistas ajudam a desvendar as origens desses medos e ansiedades com o objetivo de que a mulher recupere sua vida sexual.

Disfunção erétil

Também conhecida como impotência sexual, é o problema que mais afeta a população masculina em todo o mundo. O homem não é capaz de manter uma ereção firme o suficiente para desenvolver atividade sexual sem dificuldade. O envelhecimento natural está por trás dessa deficiência, mas também o consumo de estimulantes, como café, álcool e tabaco, obesidade e estilo de vida sedentário.

Tratamento: A disfunção erétil é combatida através de medicamentos orais, injeções intracavernosas, géis, ondas de choque e até mesmo cirurgia.

casal

Ejaculação precoce

Há consenso em determinar que esse a ejaculação precoce é descrito como a perda de controle sobre o reflexo ejaculatório do homem.

Tratamento: Existem drogas que podem ajudar a retardar a ejaculação, mas também técnicas – algumas popularmente batizadas como ” parar e continuar” – que permitem “treinar” o paciente a dilatar o fluxo. Por outro lado, várias investigações médicas mostraram que os medicamentos antidepressivos têm efeitos colaterais positivos nessa área.

Ejaculação atrasada

É o oposto da ejaculação precoce. Há homens que não conseguem ejacular durante um relacionamento sexual ou o fazem muito tarde.

Tratamento: Terapia comportamental e medicações podem ajudar a aliviar os sintomas.

Engane seu cérebro e emagreça mais rápido

Emagrecer é um conjunto de atitudes pró-ativas que levam ao nirvana do corpo desejado e saudável. Comer apenas o necessário para a sobrevivência sem sentir necessidade de acumular nutrientes para uma suposta escassez (e com isso aumentar a barriga e o culote), mexer mais o corpo deixando de ser refém das comodidades do século XXI – ninguém quer que voltemos a morar em cavernas, mas tirar o carro da garagem para comprar pão na esquina é um pouco de exagero, não? – e fazer com que o cérebro sinta que o organismo está sendo bem tratado. Mesmo que seja preciso enganá-lo.

Pesquisadores debruçaram-se sobre os hábitos à mesa e descobriram que se algumas pequenas mudanças forem feitas, o cérebro vai aceitar melhor sua determinação em eliminar peso. Parece bobagem à primeira vista, mas acompanhe e perceba o sentido que  tudo o que for dito fará, inclusive na balança.

Ao invés de comer em pratos convencionais, coloque as porções em pratos de sobremesa ou pires. Isso mesmo. Quando o cérebro vê um prato cheio, associa-o a sensação de saciedade; já que é assim, coloque o que vai comer em pratos pequenos.

Troque os copos baixos por copos altos, mas com a mesma capacidade. Nossa massa cinzenta tende a achar que copos baixos tem menos quantidade; a tendência natural é tomar mais de um copo de bebida por refeição. E não tenha medo: já existem copos longos com design lindo e perfeitamente funcionais.

Use pequenas cumbucas ao invés de tigelas grandes. Válido na hora da famosa sobremesa calórica. Aquele sorvete ou aquele flan da mamãe são uma delícia, mas já estou vendo a cara de culpa de quem a come em cima de uma esteira. Deixe as tijelas grandes para as saladas!

Sirva-se de comida com colheres de chá. Demora? Exatamente. E é essa a ideia; ao invés de cair na tentação de lotar o prato com aquelas conchas enormes, o ir e vir das pequenas porções fará com que o cérebro não faça você gastar energia à toa e se satisfaça com a pequena porção colocada com a colher de chá.

Ajuda do hibisco para emagrecer

Quantas vezes você já ouviu sobre os poderes milagrosos de um chá qualquer para emagrecer? Tenho recebido diversos e-mails sobre o chá feito de uma flor chamada hibisco, presente em editoriais de inúmeras revistas e sites, e a pergunta não poderia ser outra: chá de hibisco emagrece? Minhas ressalvas contra os chás supostamente emagrecedores vêm de uma época em que qualquer pilantra fazia propaganda na tevê prometendo “milagres”, mas hoje tenho meus médicos, a ANVISA e o Google para me esclarecer. Pois vejamos o que existe de concreto sobre o chá de hibisco.

O que é o hibisco?

O hibisco em questão é um arbusto que produz flores amareladas, usadas tanto como planta ornamental quanto medicinal. Eea tem origem asiática e africana. Mas atenção: não confundir o hibisco ornamental encontrado em ruas e avenidas, e cujo nome científico é Hibiscus rosa-sinensis, com o hibisco medicinal, cujo nome científico é Hibiscus sabdariffa. Ela também é conhecida como vinagreira ou quiabo-roxo.

Afinal, hibisco emagrece?

Antes de responder à pergunta, que tal falar sobre as propriedades comprovadas do chá de hibisco?

O chá de hibisco é antioxidante, por isso ajuda a eliminar os radicais livres, e anti-inflamatório.
O chá de hibisco é altamente digestivo, impedindo a absorção da gordura e de carboidratos simples, e diurético, pois ajuda no funcionamento dos rins.
A flor do hibisco é rica em vitamina C, que além de ser antioxidante é um importante coadjuvante na boa circulação sanguínea, e em cálcio, importante mineral que ajuda tanto no fortalecimento dos ossos quanto no emagrecimento.
Sim, o chá de hibisco emagrece, desde que aliado aos bons e velhos preceitos do emagrecimento saudável: alimentação balanceada e atividades físicas. Mais duas coisas: consulte seu médico antes de tomar chá de hibisco, e se não houver nenhuma contraindicação, consuma o chá do Hibiscus sabdariffa! Não confunda com o outro.

fundo de emergencia

6 etapas simples para iniciar seu fundo de emergência

Economizar o equivalente a vários meses de despesas diárias para um fundo de emergência pode parecer intimidante, especialmente quando parece que todo mês todo o seu dinheiro disponível já está alocado para outra coisa.

Se as suas despesas diárias totalizassem US $ 2.000, por exemplo, levaria tempo para economizar US $ 6.000, ou três vezes suas despesas básicas, o ponto mais baixo na faixa típica para um fundo de emergência.

Seguindo estes 6 passos simples pode ajudá-lo a começar a criar uma reserva de caixa, que lhe trará maior estabilidade econômica e paz de espírito.

fundo de emergencia

Faça um colapso

Se você se concentrar no total, parecerá esmagador. Mas um total é composto de partes menores, e esses são incrementos que você pode atingir razoavelmente a cada mês.

Algumas pessoas, por exemplo, podem começar com uma meta de US $ 100 por mês, que é de apenas US $ 3 a US $ 4 por dia, mas economizar US $ 100 por mês lhe daria uma reserva de US $ 1.200 após um ano.

Escolha algo que você pode aparar

Economias diárias podem ser acumuladas. Você pode compartilhar seu carro ou usar o serviço de transporte público para economizar gasolina, trazer seu almoço em vez de comprá-lo ou cancelar o serviço de transmissão que você não vê mais.

Calcule quanto você está economizando mensalmente de sua mudança diária e salve esse valor colocando-o em seu fundo de emergência.

A chave é identificar que despesa específica você pode reduzir, o que é mais prático do que fazer uma resolução geral para “economizar dinheiro”.

Você pode mudar seu comportamento em geral se começar com pouco e especificamente.

 

Coloque a tecnologia para trabalhar para você

Uma maneira fácil de economizar constantemente é configurar transferências automáticas de sua conta corrente para sua conta poupança.

Considere coordenar suas transferências automáticas com o seu dia de pagamento.

Se você tem depósito direto em seu trabalho, você pode ter uma porcentagem do seu cheque de pagamento ir para sua conta de poupança de emergência em cada período de pagamento.

Não deixe que as dívidas interfiram

Se você consulta cpf com nome completo e vê que está no vermelho e seu score está muito baixo se acalme tem solução.

E se a sua dívida tiver altas taxas de juros, como cartões de crédito, faz sentido recomprar agressivamente os saldos primeiro.

Mas se suas taxas de juros e saldos são menores e você pode lidar melhor com eles, você pode tentar atingir os dois objetivos ao mesmo tempo. Também considere a nomeação de fundos a cada mês para dívida e poupança.

Mantenha seu dinheiro acessível, mas longe da tentação

Fundos de emergência devem estar disponíveis quando você precisar deles.

Isso significa que eles não estão bloqueados em contas que cobram pelo acesso ao seu dinheiro, nem os mantêm em uma conta que você será tentado a usar para despesas diárias.

Considere o estabelecimento de contas de poupança separadas que gerem juros e sejam seguradas pelo FDIC ou por uma conta do mercado financeiro.

Agora, faça um esforço maior

 

Não pare depois de atingir seu objetivo original de economia.

Aumente constantemente suas metas de poupança até acumular dinheiro suficiente para cobrir suas despesas de seis a nove meses, uma proteção significativa contra emergências inesperadas.

Com essa base financeira em andamento, você pode aplicar seus hábitos de poupança a novas metas, como pagamento de um carro, aposentadoria e até mesmo para as próximas férias.